Acupuntura e a Cesariana

Acupuntura reduz número de Partos por Cesariana                         

Cientistas espanhóis comprovaram que aplicar moxabustão entre a 33a e 35a semanas de gestação pode ajudar a reduzir em torno de 25% o número deste tipo de intervenção

Esta investigação pioneira a nível mundial, tem demonstrado que o uso desta técnica em mulheres cujo feto está em posição não-cefálica, ajuda a colocá-lo na posição cefálica, o que evita a prática de cesáreas.

A moxabustão, uma técnica milenar de Medicina Tradicional Chinesa, e que foi declarada em 2010 pela Unesco como Patrimônio Cultural Inmaterial da Humanidade, se realiza com uma planta conhecida como artemísia (Artemisia vulgares). A aplicação se dá com um bastão (existem outras formas de aplicação),  denominado moxa e se aplica em determinados pontos de acupuntura no corpo da paciente. A pesquisa  foi publicada na revista Acupunture Medicine, editada pelo grupo editorial British Medical Journal.

Sua autora é a principal investigadora do departamento de Economia Aplicada da Universidade de Granada, Leticia García Mochón.

No Brasil, e particularmente no Núcleo de Acupuntura Álvaro Renoldi, esta técnica é largamente utilizada em conjunto com a Acupuntura e seus  resultados são bastante expressivos, não só para estes casos como também no tratamento da infertilidade masculina e feminina.

É uma contribuição valiosa para as mulheres e para o setor público de saúde que sofre com os custos dos partos por cesárea e que neste momento está questionando fortemente este tipo de procedimento.

Para os bebês, nada como vir ao mundo da maneira mais natural possível. No tempo certo e com sua formação completa.

Para as mamães, um pós parto sem dores.